Estudo de Ponto Matiz

com Mary Corbet
Dando continuidade a este Blog Patchaula, nosso segundo trabalho (o primeiro foi o Caderno de Pontos) será este estudo de Pontos Matiz proposto pela adorável Mary Corbet.
Sou fã dela por inúmeros motivos.
Só ela sabe dividir com naturalidade tudo o que aprende, é organizada e extremamente disciplinada, ela chegou ao meu email e tem mantido contato numa frequência espartana.
Como adoro aprofundar no que estou aprendendo, percebi que meus pontos precisam de mais "direção".
Este estudo da Mary tem a proposta de mostrar isto, nas diferentes formas geométricas aprendemos qual a direção correta que a agulha deve tomar.
Vou traduzir as explicações tal como o computador o faz para que não percamos a fidelidade do original.
Convido você a acompanhar, salvando o risco do estudo em preto e branco, imprimindo para que fique com uns 30 x 30 cm e depois transferindo com carbono para um tecido. Aconselho usar linho, pois a trama ajuda com o encontro do ponto.

Algumas colegas do Grupo Alunos da Patchaula no Facebook – link: Alunos da Patchaula (você está convidada a participar. Peça entrada) compartilharam fotos que mostraremos aqui, na hora precisa a titulo de ilustração.

Vamos então ao trabalho porque tempo é ouro.

Link do Blog da Mary onde o Estudo completo é proposto 
Guia do Estudo Blog Mary

Vamos iniciar pelo risco:
Risco do Trabalho

Leia tudo com atenção, não pule etapas, seja boa menina, não deixe a pressa comandar seu trabalho. OK?
Aqui você vai perceber que cada orientação é valiosa, afinal você está aprendendo com uma pessoa muito experiente que sabe compartilhar com detalhes. 
Mary agora vai dar tudo o que precisará de material e como transferir seu risco. Tudo no link acima.
De posse do seu risco, já sob o tecido, deveremos iniciar pelos quadrados. Eles são os mais fáceis.
Dentro da Caixa como ela o chama, teremos dois tipos de pontos: o ponto feito no sentido reto, ou seja, na vertical e o ponto feito na diagonal, que é feito no quadrado seguinte.
Vejamos o link do blog da Mary: Dentro da Caixa
Atenção! Neste link acima você terá indicação para os vídeos do canal no Youtube da Mary onde ela mostra o passo a passo deste processo.
Para ilustração, trago algumas fotos do meu trabalho aqui, para que você fique mais animada a se aventurar.

    




O tecido que usei foi linho e aconselho passar um zig zag nas bordas para não desfiar.
As linhas que sobram, eu uso alinhava-las nas bordas para aproveitamento posterior.
    



O primeiro treino como falamos acima é feito pelos quadrados.
Notem que no inicio os pontos não ficam bem retinhos, ainda estava a procura deles.
A escolha das cores é coisa importantíssima. Mas não se preocupe aos poucos vamos aprimorando.
Não espere perfeição na primeira lição.
    


O segundo passo que devemos executar é com os triângulos.
Escolhi trocar as cores.
O que posso dizer aqui é que o triângulo em pé não está com o cume do meu agrado, não soube dar a direção correta para que finalizassem num único ponto. Devo aconselhar que procure fazer o  melhor.
Treino é para isso, ver os erros e procurar melhorar. 

O link da Mary para esta etapa está aqui: Triângulos.
    



Os círculos são especiais, a direção dos pontos precisa ser muito observada. É interessante fazer os riscos à lápis no tecido antes de iniciar com os pontos. Isto ajuda muito a lembrar-nos do movimento correto.

O link para os círculos está aqui: Círculos.


    



O laço tem um movimento contínuo e aqui você já deve ser capaz de observar a entrada das cores.
Ele deverá ficar com este efeito de luminosidade sem mostrar muito a mudança da cor.
Ainda inacabado, meu trabalho mostra os riscos feitos no tecido, conforme indicação da Mary.
    




Agora sim está finalizada a etapa do treino em laços. 

O link para esta etapa está aqui: Laço 
 



Vamos às folhas então, a primeira é a mais simples.

Basta seguir as etapas do link Folha Simples.


       



A outra folha não me agradou, porém me fez lembrar que se trata de um treino.

O grau de dificuldade deve servir para entender o processo de aperfeiçoamento.

Link desse tutorial: Folha mais Complexa
    





Nossa observação melhora com a prática, mas somente o treino nos faz adquirir o controle total.






Esta ultima folha deve nos dar a sensação de estar virada.
Por isso ficou por último, precisamos aqui saber direcionar melhor os pontos.

Aqui vai o link de instruções: Folha Virada


    


Agora vamos ao centro do trabalho, a Mary o deixou vazio, eu achei que poderia adicionar uma marca minha, mas algo que não destoasse do restante. Então, usando linhas Australianas nos tons que o trabalho pedia, busquei um monograma que não fosse muito enfeitado e que desse a ideia de continuidade ao trabalho.
Valeu ficar até a madrugada sobre meu "R"
Não tem link desta etapa, a Mary não fez nada no trabalho original.
    

Trabalho concluído. Recomendo a elaboração dele.
Somente a pratica nos faz caminhar.
Em se tratando de PONTO MATIZ não existe outra estrada que nos faça aprimorar com ele.
Comece, não exija perfeição, saiba olhar para um trabalho seu com amor, mesmo vendo os erros, sinta o progresso.

Obrigada Mary Corbet.

Rose Becker - Abril 2017

4 comentários: